Teu Sonho Logo

Sonhos Recentes Página 3

Menu botão

Os Sonhos Mais Vistos

Coleção De Sonhos - Busca Sonhos

Sonhos no banco de dados cadastrados para serem analisados ​​e interpretados - pesquise sonhos contendo os símbolos do seu sonho


Sonhei que uma rapariga falou a volta

Sonhei que uma rapariga falou a volta do meu pai, fiquei assustado, a minha cabeça vibrou, derrepente ouço a voz da minha mãe a dizer para não me mecher

Sonhei que meu neto de 2 meses

Sonhei que meu neto de 2 meses ia dormir no carrinho ao lado da cama e quando eu acordava meu neto não estava mais no carrinho e o estava como se alguém desarmou. Quando olhei ele está na colchão que eu e minha filha estaca.. no entanto tinha um monte de formiga ao redor dele...em cima do cobertor dele tbm...mas não tinha nenhuma formiga em cima dele...elas ficam ao redor dele mas não ia pra cima dele. Daí eu fiquei dizendo. " OUSH COMO FOI QUE ALGUEM ENTROU COLOCOU ELE NO COLCHÃO DESARMOU O CARRINHO E NINGUÉM E O MAIS ESTRANHO É QUE ESTA TUDO FECHADO.

Pesadelo com rato Sonhei que vinha no

Pesadelo com rato Sonhei que vinha no quarto e tinha um rato enorme na cama e o quarto cheirava muito a lixo. Como se o rato estivesse morando a muito tempo aqui. O Erick estava no banho e eu gritava por ele. Mas quem apareceu primeiro foi meu pai. Ele pegou o rato e eu dizia pra ele matar mas ele não queria porque o rato não era mais um rato. Tinha virado um outro bicho maior e que não era feio ou fedido. E esse bicho pedia pra não matar ele. Mas mesmo assim eu insisti e meu pai enforcou o bicho. A última cena eu vi o bicho já na rua no latão de lixo.

Meu avô eu estava na casa dele

Meu avô eu estava na casa dele e estava vivo porém morrendo aos poucos,muito sangue saindo pela boca sofrendo de mais, ele tentava me avisar de alguma coisa, eu fiquei muito mal pois ele estava morrendo e ele não conseguia me contar quem foi, parecia ser meu namorado que fez isso con ele porque toda vez q ele tentava falar o que houve ou o que tinha para me avisar meu namorado não deixava mais não era ele era como se fosse o demônio no corpo dele, todos tentavam me avisar algo mais era só olhar pro meu namorado eles não falavam ficava com medo dele

Tudo começou na escola. Era um dia

Tudo começou na escola. Era um dia de aula comum e eu seguia pelos corredores. Não lembro exatamente porquê, mas o lugar todo estava um drama. Não estava envolvida em nenhuma das histórias, até inevitavelmente ser arrastada pra uma delas. Enquanto ajudava uma amiga (ela não era exatamente alguém real, e também não lembro o seu nome agora) a procurar a namorada, entrei no banheiro. Talvez para respirar, sei lá, não importa, quando cheguei eu encontrei a namorada dela: traindo ela com uma amiga na pia. Só lembro de sentir nojo. Além delas não terem sido nada discretas as vadias ainda eram anti-higiênicas! Daí pra frente, o sonho mudou. Meu outro colega, Pedro Henrique (Interessante ele estar aqui nesse sonho, nem gosto dele), acaba descobrindo também. Como o fofoqueiro que ele é, não demora pra escola toda ficar sabendo depois. Nisso caminhamos para mudança: tentei sair dali o mais rápido que fosse pra escapar dos burburinhos, apesar de não ser sobre mim era sobre alguém em que conhecia e era próxima. A escola me deixava desconfortável e o ambiente começou a mudar. As escadas se tornaram mais largas, mas eu sabia que não eram confiáveis para meu acesso; uma multidão de alunos começou a sair e, claro, Pedro Henrique estava atrás de mim me chamando. Não sei para o que exatamente, porque a multidão me pegou. Quase me afoguei neles como se tivesse levado um caldo do mar, então, ao me apressar mas consegui chegar intacta.

Tudo começou na escola. Era um dia

Tudo começou na escola. Era um dia de aula comum e eu seguia pelos corredores. Não lembro exatamente porquê, mas o lugar todo estava um drama. Não estava envolvida em nenhuma das histórias, até inevitavelmente ser arrastada pra uma delas. Enquanto ajudava uma amiga (ela não era exatamente alguém real, e também não lembro o seu nome agora) a procurar a namorada, entrei no banheiro. Talvez para respirar, sei lá, não importa, quando cheguei eu encontrei a namorada dela: traindo ela com uma amiga na pia. Só lembro de sentir nojo. Além delas não terem sido nada discretas as vadias ainda eram anti-higiênicas! Daí pra frente, o sonho mudou. Meu outro colega, Pedro Henrique (Interessante ele estar aqui nesse sonho, nem gosto dele), acaba descobrindo também. Como o fofoqueiro que ele é, não demora pra escola toda ficar sabendo depois. Nisso caminhamos para mudança: tentei sair dali o mais rápido que fosse pra escapar dos burburinhos, apesar de não ser sobre mim era sobre alguém em que conhecia e era próxima. A escola me deixava desconfortável e o ambiente começou a mudar. As escadas se tornaram mais largas, mas eu sabia que não eram confiáveis para meu acesso; uma multidão de alunos começou a sair e, claro, Pedro Henrique estava atrás de mim me chamando. Não sei para o que exatamente, porque a multidão me pegou. Quase me afoguei neles como se tivesse levado um caldo do mar, então, ao me apressar