Teu Sonho Logo

Sonhos Recentes contém eu não

Menu botão

Os Sonhos Mais Vistos

Coleção De Sonhos - Busca Sonhos

Sonhos no banco de dados cadastrados para serem analisados ​​e interpretados - pesquise sonhos contendo os símbolos do seu sonho


Recebi uma chave para o quarto 145.

Recebi uma chave para o quarto 145. Ao entrar no elevador com um grupo de pessoas para chegar ao quarto, apertei o numero 15. Então todos do grupo me olharão e percebi que deveria ir ao 16, também percebi que o prédio so tinha 5 andares Umas das pessoas do elevador me reconheceu e falou meu nome, mais eu nunca tinha visto ela. Quando o elevador parou no 15 andar, eles abriram e fecharam rápido a porta para que eu não soubesse o que tinha no andar. Ao chegar no 16 percebi que andar era exatamente luxuoso. Como não encontrava o quarto 145, perguntei a um funcionário que estava ali. Ele me respondeu que só havia quartos até o 135, mais que eu deveria ficar ali e achar o quarto 145

Eu já tinha sonhado com caixões algumas

Eu já tinha sonhado com caixões algumas vezes, e com pessoas dentro, mas hoje eu sonhei que eu estava em uma igreja a qual eu participo, e lá na frente a onde eu estava tinha um homem em pé mostrando para as pessoas da igreja vários caixões abertos e ele pegava um por um para mostrar e ele dizia no final olhem o que acontece após a morte, e eu saia daquele lugar e entrava em minha minha casa e ali estava o meu pai colando algo e ele disse cole isso aqui, eu disse porque você não cola, ele disse tenho muitas coisas para fazer, mas ele colou mesmo assim e na porta estava um amigo meu que já foi meu namorado e noivo no passado, ele tinha vindo me buscar para ir para o ensaio da igreja, o meu pai disse você vai eu disse vou, mas é estranho que no sonho eu sabia que eu não estava mais no grupo na vida real.

Hoje eu sonhei que eu tava num

Hoje eu sonhei que eu tava num lugar diferente Era uma lanchonete e uma escola junto no mesmo lugar, era vidro o lado direito onde era uma lanchonete normal e o outro lado era azul escuro "banheiros" de madeira tudo sujo nesse lugar tinha varios alunos que estudava la Quando eu entrei na "escola" eu me perdi e entrei em varias salas sem saber qual era a minha ai eu nao achava a sala eu fui no banheiro e liguei pra minha irma desesperada e disse pra ela me tirar daquela lugar que eu tava mal porque eu conseguia ver a verdadeira face de um homem que estava sentado numa cadeira da "lanchonete " olhando fixamente pra mim o rosto dele era uma caveira .Eu tava com medo e nao queria que ele chegasse perto de mim porque eu nao tava entendendo nada dai implorei pra ir embora do lugar depois eu acordei

Eu estava em um apartamento com outras

Eu estava em um apartamento com outras pessoas, um apartamento pequeno onde eu já morei. E logo depois chegou Hugo, que eu não sabia que ia, e veio me dar um abraço muito afetuoso. Me deu um beijo na bochecha, eu dei um beijo nele também, a gente ficou um pouco abraçado, dei um beijo no ombro dele, e foi um momento muito bom, que me acalentou. Depois eu fui almoçar com a mãe de um amigo meu, o padrasto dele e o ex-namorado dele. E aí eu descobri que esse padrasto dele era o pai do Hugo, e eu fiquei muito feliz por ter mais essa aproximação com ele, já que o pai dele tinha gostado muito de mim, inclusive me convidou para participar de algum outro evento deles.

Hoje eu tive uma sonho muito louco.

Hoje eu tive uma sonho muito louco. No começo do sonho me encontro em uma festa, aonde tem música e dança. Não era um local muito grande. As luzes estavam apagadas, e no centro tinha um tipo de fogueira que iluminava um pouco o ambiente. Tinha algumas pessoas se beijando e curtindo o som. Eu me vi saindo pela única porta que tinha. Para ir ao banheiro e percebi que eu estava no corredor de um colégio. Onde era branco e só tinha uns janelas que iluminava. Entrei pela porta que levou a una sala, não tinha mobília apenas 3 sofá, uma televisão e uma mesa de centro. As algumas pessoas que estavam lá, eu conhecia. Eram meus colegas de sala. Fui em direção ao banheiro na mesma sala, porém, tinha muita gente, então desistir. Saindo da sala e indo em direção ao corredor vi uma pessoa que eu conhecia, me chamando meu nome com o semblante um pouco de curiosidade perguntando se eu conseguia ver o gato (branco, com listras e olhos azuis. No seu pescoço ele carregava duas alianças amarrada) então eu disse que sim, eu podia vê-lo claramente. A pessoa me disse que só eu e el* conseguiam ver. Pois quando essa pessoa tava bricando com o gato, todo mundo tava chamando el* de doid*. Porque ninguém conseguia ver. Então o gato começou a correr e fomos atrás dele. O gato parou e paramos juntos. Quando vi, não tinha mas ninguém em nossa volta. Apenas eu, a pessoa e o gato. Então fui tirar os dois pares de alianças que estava no pescoço do gato. Eu não tava conseguindo porque estava preso. O gato começou a soltar miados alto. Atraindo uma enorme criatura semelhante à um gato. A pelagem dele era azul da cor do céu, tinha uns tom de preto e branco. Era inorme e assustador. Ele correu atrás da gente. Mas quando eu pulei de onde estava. (Que era uma escada de colégio) para o térreo, eu cai bati a cabeça e acordei. Eu dormi de volta. Aonde me vi entrando na mesma dimensão e encontrando o gato parado, peguei as alianças e pedi para ele não miar novamente. Ele deu um sorriso sarcástico.  As alianças começaram a brilhar com a cor roxa, e o gato disse que eu e a pessoa que conseguiam ver ele estavam destinad*s a se casar. Se abriu um portal roxo em minha frente, eu entrei e voltei para o corredor A pessoa me perguntou se eu consegui, então mostrei os dois pares de alianças que eu tinha em mão. A pessoa perguntou qual era o significado. Mas eu não respondi, porque fiquei receosa. Do nada isso nos levou á uma casa cheia de flores vazia por dentro, sem nenhum cômodo. Flutuando no céu. Nisso eu vi a pessoa ao meu lado e lembrei que nas nossas diversas vidas passadas a gente sempre se amou, porém, a gente sempre morria. Porque eu não aceitei amar a pessoa de volta. A pessoa também se lembrou disso. Mas eu não aceitava amar aquela pessoa, e aquela pessoa disse que estava cansad* de tanto me amar mas sempre nós acabamos sendo separad*s. Então abri a porta da casa e a gente estava no meio das nuvens, onde os galhos de flores impedia que a gente se aproximasse da beira . Eu disse que ia pular. A pessoa me impedia, dizendoe se eu pulasse a criatura iria atrás de mim. Pois a criatura juntou a gente, e nada podia separar. Eu não dei ouvidos e pulei. A criatura que era muito semelhante ao Slender Me, veio atrás de mim. A criatura era muito grande, se distorcia e tinha olhos vertical pretos assustadores. Então me vi em uma ilha pequena onde o horizonte era todo mar. A criatura estava me vigindo e não deixava eu ir ao mar tentar fugir. No outro lado tinha outra ilha aonde a pessoa que era destinad* a mim, estava. Essa ilha era bonita, tinha flores e casa de rattan. A criatura admirava a pessoa que era destinad* a mim, dizendo que era um pessoa gracios*, que é precisava ser assim. Então de alguma forma eu mandei uma mensagem para essa pessoa e essa pessoa conseguiu convencer a criatura me deixar ir a ilha. A criatura me teletransportou para lá onde eu aceitei o meu cônjuge mas planejando deixá-l*. Eu estava ficando feliz. Então a criaturas no teletransportou para o Futuro. No futuro eu e meu cônjuge estavam juntos. Mas do mesmo jeito eu tentava manter distância...

Sonhei que eu estava indo para a

Sonhei que eu estava indo para a escola e estava tendo uma chuva muito forte, juntando com uma enchente. No caminho eu encontrei um garotinho sem mãe e levei ele comigo. Ele era pequeno, com pele negra, o cabelo quase raspado e eu não sei como, mas eu amava ele e era recíproco. Agarrei ele e abracei muito, tinha um amor e um carinho inexplicável Quando cheguei na escola, peguei nos braços dele e carreguei para o fundo da escola, mas percebi que era muito perigoso. Ent, levei ele para a minha sala e todos receberam ele muito bem. Eu e minha amiga estávamos andando pela escola e tinha muitas pessoas brincando e não estava chovendo. Passamos por um corredor de meninos e um deles estava com um moletom cobrindo toda a cara e com o pé onde eu iria passar. Quando eu passei ele tirou na hora e mesmo não mostrando o rosto eu sabia quem era. Eu e ela voltamos para a sala e o chão estava todo molhado, com isso resolvemos escorregar nele e ela quase caí. Na sala, eu procurava assunto para puxar com Otávio ( o menino que eu gostava) e enviei a minha atividade para ele ( não mora mais na mesma cidade), mas logo apaguei. Ele me ligou e perguntou o que era e eu expliquei que tinha mandando errado, mas mesmo assim ele insistia para que eu mandasse para ele ver. diante disso, ficamos muito próximos

Sonhei que cheguei num lugar normal, uma

Sonhei que cheguei num lugar normal, uma casa humilde de alvenaria, com uma escada um pouco elevada e ampla sem vedação. Estacionei o carro e desci. De fronte a casa ao pé do sopé da escada estava uma mulher sentada e crianças a brincarem ambas do sexo feminino mas uma é que me seguia, Outras pessoas, jovens quase na minha faixa etária estavam no nível acima do sopé que dava acesso a varanda. Eu sentei com a mulher a conversar mas de repente dei falta dos meus chinelos cor de rosa claro. Perguntei mas ninguém deu me atenção. Então levantei subi a elevação da escada e quase no chão da varanda no murro largo que delimitava a escada senti-me numa posição em que o meu a planta doeu pé estava virada para cima. Subiu uma mulher e remexeu nas coisas que estava numa prateleira na parede interna da varanda, então derrubou sem querer um recipiente com água, a água escorreu chão e escada a baixo. Ela disse algo que não percebi, então olhei para a planta do meu pé e estava sujo. Daí desci para procurar chinelos. Fui em direção ao carro, a criança me seguiu e não falava nada, de repente vislumbres o carro com portas traseiras abertas e o par de chinelos estava lá, simetricamente deixadas no chão do carro e os chinelos tinham marca ligeira de sujidade onde aceita a planta dos pés, me espantei por ver a cor porque eu não tinha chinelos rosa-claro. Então pensei que só podiam ser da minha namorada apesar de serem do meu tamanho, e que teria sido a criança que me seguia que deixou lá. Então olhei para a criança para ter certeza que tinha sido ela. Mas quando olhei de volta, o meu carro não estava lá. No entanto um pouco mais afastado da casa tinha uma espécie de lixeira, com ramos e restos de árvore re em cortados e deixados lá ainda com folhas verdes. Aproximei e a criança seguia-me se falar nada. Chegado lá vi um caro que parece que tinha acidentado pás com a parte frontal removida. Examinei o carro e dentro do carro no banco de trás havia roupa bem dobrada. Perto daquele carro tive a sensação de que alguém podia ter morrido naquele carro. Mas nada de sangue ou vestígios de estragos, entretanto continuava com aquele mau pressentimento. Foi quando do nada apareceu outra criança negra do sexo feminino com carta arredondada e uma expressão séria e fechada. Quis testar se ela era um fantasma ou demônio então segurei a firme pelo braço junto da articulação do ombro e pronunciei Deus mas a minha voz não saia bem fiz força para libertar minha voz mas não saía por completo. Nesses esforço de querer invocar Deus enquanto a seguva firme e ela olhando fixamente para mim. Fui transportado para minha cama onde eu estava a dormir. E enquanto segurava ainda na criança misteriosa e mesmo que já sem vê-la sentia que a segurava invocando Deus mas minha voz mal saía. Então, então olhei para o lado e eu ví uma luz dourada num padrão lindo no ar e a luz materializou se em uma figura masculina imponente mas à medida que aproximava a figura transformou-se em uma bela moça de cor bronze e uma marca que lembra estrela mas de cor preta na bochecha Direita. Importa dizer que quando via luz deixei de sentir a criança. E na cama eu estava dentro da rede mosquiteira. Quando a linda moça chegou bem perto de mim ela queria dizer algo mas a voz dela não saiu e só sorria para mim. E De repente senti e vi que não estava sozinho na cama. Estava meu filho mais velho de 13 anos e uma outra moça que não vi o rosto mas sentia a do mesmo jeito que sentia meu filho, o rosto do meu filho vi nitidamente. Eu implicava a moça linda com a marca na bochecha para ficar comigo mas meu filho e a moça que está com ele na minha cama diziam que não era necessário ela ficar que eles os dois me virariam e a linda moça com gestos concordou e apontou que eu devia estar confiar neles. Daí eles tocaram me na barriga e com os dedos pressionaram minha barriga e eu senti arrepios, não medo só uma sensação que energia no meu corpo e acordei.

Eu estava em uma festa, no terreno

Eu estava em uma festa, no terreno da minha casa mas eu estava na parte da frente e de frente para a rua, quando eu olhei para a rua vi um homem sendo atropelado, decidi ir para minha casa e cheguei lá todo mundo tinha apanhado do rapaz que corta meu cabelo, eu decidi ir atrás dele, e minha ex namorada estava me mandando mensagem, entrei numa casa que era igual a dela, mas tinha um amigo e um cara desconhecido lá, tinha uma escadaria eu decidi subir estava um amigo do meu pai e o rapaz que corta meu cabelo com armas nas mãos me culpando de ter feito algo e eu não sabia o que era e eles não me falavam o que eu tinha feito... e o barbeiro decidiu em atirar em mim, porém o tiro pegou na escada e acabou pegando nas minhas costas eu senti o sangue senti a dor, e sai correndo até meu carro e eles atirando em mim lembro de ter tomado um tiro no braço e outro na perna, assim que eu abri a porta do carro eu acordei

Era de tarde, e eu estava em

Era de tarde, e eu estava em casa revendo algumas coisas do trabalho. Foi então que recebi uma mensagem, e era ele, meu ex- ficante e amor. Eu não quis responder. Porque estava chateada com tudo. Não demorou até ele mandar outras mensagens seguidas. Somente retornei com um oi. Ali começamos a conversar e ele dizia sentir saudade de falar comigo e pedia perdão por agir impulsivamente.Aos poucos minha visão começou a ficar turva, a partir daí, eu já m encontrava em outro lugar. Não podia distinguir onde era por conta da escuridão. Não via nada. Apenas ouvia risos.Isso me conturbava. Em momento de pânico senti ser puxada, era como se várias pessoas quisessem me arrastar.Em um momento tive a sensação de algo sair de dentro de mim. O ato se repetiu com frequência e eu apaguei. Assim que voltei, estava em outro lugar, nada estranho. Era a sua casa. Mas ali era como se eu fosse apenas um fantasma. Eu podia ver ele, mas ele não me via. Estava praticamente invisível ao seus olhos. Ao notar tanto, o seu jeito não era o mesmo. Parecia fora de si. Logo eu o vi entrar no carro e sair dali. Um sentimento ruim veio. Angústia. Pressentimento ruim. Desespero. Por fim, me lembro apenas de ter caído aos prantos. E quando a vista embaçada foi recuperada, eu estava em campo enorme. Grama bem verde e muitas flores brancas. Muitas flores mesmo. E mais adiante, lá estava o Guilherme. Estava sem a barba, não havia uma tatuagem sequer. E dessa vez, parecia conseguir me enxergar.

Inicia como se fosse um jogo. Eu

Inicia como se fosse um jogo. Eu estou ao redor de cachorros, dois. Um é manso, e seguro ele e faço carinho. O outro é bravo e quando vem em mim bato nele. Estou atrás de uma parede alta. E nisso se inicia uma perseguição ao que tudo indica ser um gato (uma pessoa com cara de gato kkk) e na busca dela eu acabo errando e acertando outra pessoa com uma espada, eu sei que eu não posso matar essa pessoa se não perco o jogo e não vou conseguir pegar a pessoa gato, só que essa pessoa vem para cima de mim, devido ao meu ataque, e eu então miro no seu coração e com uma facada rápida e certeira atinjo seu coração. O sonho acaba.