Teu Sonho Logo

Sonhos Recentes contém frente

Menu botão

Os Sonhos Mais Vistos

Coleção De Sonhos - Busca Sonhos

Sonhos no banco de dados cadastrados para serem analisados ​​e interpretados - pesquise sonhos contendo os símbolos do seu sonho


É a terceira vez em intervalos distantes

É a terceira vez em intervalos distantes que eu sonho o seguinte: Estou em um ônibus e tudo parece ser anos atrás então passo eu frente uma casa que fica tremendo (pra lá e pra cá rápida) e eu falo que é uma casa de macumba, logo a frente vejo outra casa de macumba

Tudo começou na escola. Era um dia

Tudo começou na escola. Era um dia de aula comum e eu seguia pelos corredores. Não lembro exatamente porquê, mas o lugar todo estava um drama. Não estava envolvida em nenhuma das histórias, até inevitavelmente ser arrastada pra uma delas. Enquanto ajudava uma amiga (ela não era exatamente alguém real, e também não lembro o seu nome agora) a procurar a namorada, entrei no banheiro. Talvez para respirar, sei lá, não importa, quando cheguei eu encontrei a namorada dela: traindo ela com uma amiga na pia. Só lembro de sentir nojo. Além delas não terem sido nada discretas as vadias ainda eram anti-higiênicas! Daí pra frente, o sonho mudou. Meu outro colega, Pedro Henrique (Interessante ele estar aqui nesse sonho, nem gosto dele), acaba descobrindo também. Como o fofoqueiro que ele é, não demora pra escola toda ficar sabendo depois. Nisso caminhamos para mudança: tentei sair dali o mais rápido que fosse pra escapar dos burburinhos, apesar de não ser sobre mim era sobre alguém em que conhecia e era próxima. A escola me deixava desconfortável e o ambiente começou a mudar. As escadas se tornaram mais largas, mas eu sabia que não eram confiáveis para meu acesso; uma multidão de alunos começou a sair e, claro, Pedro Henrique estava atrás de mim me chamando. Não sei para o que exatamente, porque a multidão me pegou. Quase me afoguei neles como se tivesse levado um caldo do mar, então, ao me apressar mas consegui chegar intacta.

Tudo começou na escola. Era um dia

Tudo começou na escola. Era um dia de aula comum e eu seguia pelos corredores. Não lembro exatamente porquê, mas o lugar todo estava um drama. Não estava envolvida em nenhuma das histórias, até inevitavelmente ser arrastada pra uma delas. Enquanto ajudava uma amiga (ela não era exatamente alguém real, e também não lembro o seu nome agora) a procurar a namorada, entrei no banheiro. Talvez para respirar, sei lá, não importa, quando cheguei eu encontrei a namorada dela: traindo ela com uma amiga na pia. Só lembro de sentir nojo. Além delas não terem sido nada discretas as vadias ainda eram anti-higiênicas! Daí pra frente, o sonho mudou. Meu outro colega, Pedro Henrique (Interessante ele estar aqui nesse sonho, nem gosto dele), acaba descobrindo também. Como o fofoqueiro que ele é, não demora pra escola toda ficar sabendo depois. Nisso caminhamos para mudança: tentei sair dali o mais rápido que fosse pra escapar dos burburinhos, apesar de não ser sobre mim era sobre alguém em que conhecia e era próxima. A escola me deixava desconfortável e o ambiente começou a mudar. As escadas se tornaram mais largas, mas eu sabia que não eram confiáveis para meu acesso; uma multidão de alunos começou a sair e, claro, Pedro Henrique estava atrás de mim me chamando. Não sei para o que exatamente, porque a multidão me pegou. Quase me afoguei neles como se tivesse levado um caldo do mar, então, ao me apressar

Sonhei que estava em uma cidade que

Sonhei que estava em uma cidade que já morei a anos atrás, e estava mostrando ela a uma amiga, de repente estava a noite e as pessoas correndo, tinha um elefante pequeno, ele era meio diferente de um ele elefante comun, e tinha outro animal estranho, era meio cachorro e meio porco e esse corria pra atacar as pessoas. Todo mundo correu e nos ficamos, ele veio em minha direção e se bateu em minhas pernas, eu comecei a cantar e esses animais dormiram, chegou um rapaz de moto, eu pedi ajuda e ele negou, depois ele voltou e disse que não conseguia ir sem nos ajudar, ele ligou a moto enquanto eu cantava pra o animal dormir, eu subir na garupa e fugimos, durante o percurso ele alisava a minha mão, e colocava ela na cintura dele pra eu segurar, eu me sentir bem e com confiança( eu não sei quem era o rapaz da moto) depois ele me deixava em uma antiga republica que morei, encontrava minha amiga e saimos atrás de um rock(festa que se fala la)entramos eem uma casa estranha de andares, tinha muita gente, mas não era festa, eu cruzava com o rapaaz da moto,tento falar com ele e ele fingi que não me conhece.então vou percorrendo a casa ate que subo a uma sala estranha, decorada de halloween e cheia de coisas estranhas, um corpo no chão. Logo chamo manhã amiga e descemos para sala, no caminho encontro pessoas familiares, outra amiga, uma prima. E nessa sala começam a falar de rituais espirituais e eu sinto muito medo, sento em uma escada para não ver, mas consigo escutar e sindo medo e ansiedade. Em seguida eu digo, a mulher está andando no corredor do meu lado, eu escuto os passos dela indo e vindo. De repente ela vem em minha direção, como se alguem estivesse tomando o corpo dela, ela me olha com raiva e tenta vim em minha direção, ass pessoas que estavam ao redor não deixam q ela chegue ate mim, ela me passar um recado, de que preciso me livrar das amarras que fizeram para mim. Eu vou embora com minha amiga,descemos a escada,ao chegar na rua minha prima me espera com um carro, vou eu e duas amigas, eu abro a porta da frente pra entrar, quando minhas amigas vão a abrir a porta do fundo, eu vejo um cadeado no lugar e ele esta trançado, eu dou risada e falo com minha prima, um cadeado fechando a porta do carro. E ela diz, nao e meu, saímos e começamos subir uma ladeira que da a minha antiga faculdade,so que tinha gelo na ladeira, mas subimos tranquila, chegando lá a faculdade vazia, eu apresentava a elas, porém fora tinha muitas pessoas. Eu queria encontrar as pessoas que conheci quando morei la, mas todas as pessoas eram desconhecidas

Sonhei que estava na casa da minha,

Sonhei que estava na casa da minha, que já morreu. Essa casa virava um sítio e nele estava ali que parecia uma pessoa muito ruim que já passou pela minha vida. Mas meu primo e minha avó estavam lá, andavam mais na frente e tentavam matar uma aranha muito grande. A aranha corria na minha direção e meu primo a pegou com a mão. Ela era preta e amarela. Ele foi picado e eu também, embora eu não tenha encostado nela. Eu consegui tirar o veneno do meu dedo mas ele não conseguiu tirar do dele. O veneno era amarelo.

Estava na janela do meu quarto, aparece

Estava na janela do meu quarto, aparece um homem na minha janela, com algo na mão, uma pequena gaiola coberta por um pano e retira um pássaro, uma ave estranha que entra no meu quarto mesmo quando tento fechar rapidamente as janelas com força, a ave voa pelo meu quarto se debate nas paredes, então a vejo na minha frente novamente, se transformando em algo, transmutação, metamorfose. Precisava fechar as janelas, eu saí correndo pela casa, tentando fechar todas, mesmo sabendo que não conseguiria fechá-las a tempo.

Sonhei que estava indo trabalhar porém errei

Sonhei que estava indo trabalhar porém errei o ônibus e desci em um bairro de frente com um parque que não existem e eu tentei voltar porém os ônibus só iam para esse lugar não voltavam

Sonhei que estava em um parque. Cheio

Sonhei que estava em um parque. Cheio de árvores e tinha um lago com várias ilhas. Um bairro... Era um lugar meio feio que estava sendo reformado. Tinha muitas máquinas, obras... Estava um dia claro, eu estava com outras pessoas conversando e decidi me afastar das pessoas e sentar sozinha em um banco de madeira, perto do lago. Tinha bichos no lago (acho que patos filhotes) , perto do banco tinha vários gatos e cachorros deitados na grama. Tinha sombra. Do meu lado esquerdo era o lago, em frente um condomínio de ricos, casas bonitas, árvores, era um morro, terreno não regular. Mas as casas bonitas. Em frente do lado direito ainda, depois do lago tinham pessoas limpando, restos de obras. Atrás de mim árvores e a rua pra sair do parque. Tipo um estacionamento. Tinha como fazer exercícios, piquenique... Do meu lado esquerdo dentro do lago tinha um cemitério. Vários túmulos dentro da água. Porém eles estavam sendo removidos. Tinha só metade. Máquinas trabalhando. Não estavam tirando no momento q eu estava lá. As máquinas estavam tirando árvores depois do cemitério. Mas não tinha barulho. Fiquei um tempo olhando os gatos e tudo, depois fui pra casa. Eu morava perto. Estava na cozinha da minha casa tomando água e vi minha gata (telefone) cambaleando, na hora pensei... veneno, fui correr pra pegar remédio e apareceu melancia, estava novinha, correu p perto de mim. Tinha alguns buracos pequenos pelo corpo e um grande na cabeça, a parte do focinho estava quebrada.

Sonhei que estava cavalgando em um cavalo

Sonhei que estava cavalgando em um cavalo preto, mas não era somente eu avia outras pessoas desconhecidas cavalgando em outros cavalos pretos e eu não sabia cavalgar direito,o caminho era muito difícil era entre alguns galhos secos e o caminho escuro, e uma subia muito mas muito difícil mesmo, até a gente chegar em um local meio pequeno e assim que chegamos lá tínhamos que ficar sentados até uma mulher foi chamada e subiu uma pequena escada que ficava ao lado de onde eu estava sentada e ela subiu e sentou no chão de frente a 3 bacias e começou a ficar brincando com alguns bonecos, até que eu fui a próxima a ser chamada, mas param era diferente falaram que uma mulher queria me ver de pressa, chegando era um quarto fechado estava ela e um homem sentados ao redor de uma mesa e ele olhava para mim e chorava e ela falava que avia algo preso a mim que ela podia ver ele na barra do meu vestido e dizia que eu precisava tomar cuidado com minhas amizades, ou algo do tipo, então eu sair da sala o homem continuo olhando para mim e chorando, foi quando eu vi alguns urubus parados me olhando e outros acababando de pousar em alguns galhos, e me lembro de chorar muito muito mesmo, e foi então que acordei chorando e me sentindo muito fraca.

Tomei conciencia quando desci de uma baita

Tomei conciencia quando desci de uma baita moto para ir em um ponto turístico. Ao entrar no local, estava em um ponto perigoso formado por una camada de barro e muito carvão em baixo. Nesse momento encontrei uma antiga amizade minha e passamos a conversa sobre o quão bom é viajar e conhecer coisas novas Eu entrei em uma sala e nela tava meio chovendo e tinha vários gorilas, ao ver uma, sair da sala. Meu amigo acho isso normal e não se surpreendeu com os gorilas. Outro turista foi para a sala e tbm não se surpreendeu. Depois disso, eu e meu amigo resolvemos ir embora Ela tbm tinha uma baita moto, mas resolveu ir embora em uma biz e eu tava numa 110 Ao sairmos do local, o caminho para casa estava bloqueado por policiais e resolvemos no mesmo momento voltar, pois eu não tinha carteira e nem capacete. Um morador local disse que não teriamos problemas com a polícia e poderíamos pegar esse caminho. Não seguimos o conselho dele e formos pegar outro caminho. Ao pegarmos, meu amigo disse que fizemos o certo, pois já estávamos no caminho para casa. Sairmos em uma ponte super inclinada e ele muuuuito rápido na frente. Eu não acelerava, eu desci a ponte com o pé no chão controlando a pop Depois da ponte, acelerei mas não consegui encontrar novamente meu amigo nesse novo lugar estranho Eu era um péssimo motorista e estava perdido. Esse foi meu sonho