Teu Sonho Logo

Sonhos Recentes contém um monte de

Menu botão

Os Sonhos Mais Vistos

Fugir

Fugir

Coleção De Sonhos - Busca Sonhos

Sonhos no banco de dados cadastrados para serem analisados ​​e interpretados - pesquise sonhos contendo os símbolos do seu sonho


Eu estava na casa de um feiticeiro,

Eu estava na casa de um feiticeiro, não lembro ao certo como era lá dentro e oq eu fiz, só lembro na hora que eu sai da casa e tinha um monte de santo de cabeça pra baixo, e um cavalo branco começou a correr atrás de mim bravo, e uma menina me ajudou e depois começou q correr atrás de mim dizendo que eu troquei ela e que ela ia me matar, e nesse momento eu digo que fiz amarração pra amarrar meu noivo.

Começou com minha mãe me levando pro

Começou com minha mãe me levando pro novo colegio q eu ia, n fazia ideia de onde eu tava, eu cheguei la e ninguem queria me dar informação, de sala maquete intervalo e etc, ai tinha esse menino e mais um só q o outro eu n consigo lembrar o rosto, ele me ajudava em tudo, aula informação ficava no intervalo e um monte de coisa, a unica parte que eu consigo associar do rosto dele é na hora que a gente tava na biblioteca de balé que tinha lá, e é isso que eu lembro dele. sei que um tempo depois eu comecei andar com o outro menino e senti falta dele(isso no 2 dia de sonho) eu dei falta mas nem liguei, o colegio era todo esquisito e ngm falava com ngm e tal, ai no 3 dia(hoje) eu fui me ligar que ele podia ter morrido ou tava tentando se comunicar cmg e não conseguia, pq eu nunca sonhei tanto tempo com alguem e quando eu acordo eu nunca lembro sobre o q conversei com a pessoa

No meu sonho eu estava em um

No meu sonho eu estava em um carro com um homem vindo para a minha casa e quando cheguei aqui estava minha família reunida na área da piscina. Minha avó materna estava com as irmãs dela bebendo , mas todas elas estavam com feições jovens. Meus pais estavam juntos ( eles são divorciados ) e ninguém lembrava de mim de verdade. Então disse a minha mãe que ela teria uma filha chamada Valéria, meu nome é Valéria. Ela ficou muito contente com a surpresa. Era como se eu estivesse em um mundo paralelo onde meus pais estavam juntos, minha avó jovem e eu não existisse. Sem falar que minha casa estava um pouco diferente e tinha um monte de menino que eu nunca vi na vida.

Eu tinha chegado da empresa e vc

Eu tinha chegado da empresa e vc estava bem, tranquila, conversamos, rimos e brincamos um com o outro e depois fui tomar banho, quando voltei vc estava estranha, toda calada e diferente e como sempre perguntava o que vc tinha e vc sempre me respondia o mesmo, nada. Até que vc disse que ia dormir na barra eu sem entender nada, te fiz um monte de perguntas porém sem repostas até que vc foi, fiquei te ligando e nada e o Raul ficou comigo tbm sem entender, até que minha mãe chega e diz que vc tinha passado o dia toda estranha sem falar nada até com o Raul. E eu desesperado sem entender, Raul me pedia atenção e eu não conseguia dar só pensando disso, até que minha mãe sentiu uma dor muito forte, muito mesmo no estômago, e fui ajuda - lá, fiquei com ela até ela melhorar e nisso eu fiquei passando vários remédios na barriga dela, muitos, e uma dessas horas eu estava com ela sentada na porta da cozinha, Raul chorando e eu sem entender nada, o Vinícius chega e começa a gritar comigo, pois estava passando remédio nela na cozinha do cheiro era forte e mandei ele ir se fuder até porque eu queria vê- lá bem, até que ela melhora um pouco e a levo nos braços para o quarto, depois volto e dou a janta do Raul e ele cai no sono, tiro umas fotos dele pra vc e te mando e vc dizia que era golpe baixo, até que saio de casa pra comprar alguma coisa que não lembro o que era fui até quase o final da Júlio Braga sentido Cj Ceará, vejo um velho sr. Passando mau e viu ajuda - lo, levo ele até em casa e ficamos sentados na calçada por horas conversando, ele me dizia que tinha 10 filhos, conhecia todos e amava todos e eles nunca o abandonaram, fico com ele até chegarem dois caras em uma moto e começam a cuidar dele e volto pra casa, chegando em casa a mãe já estava dormindo e a Silvania ainda estava aqui com um sobrinho dela que ficava fazendo hora com a cara do Raul e eu ficava muito puto e não deixava ele ficar com os brinquedos do Raul e ainda batia nele, trouxe o Raul para o quarto e ele sempre me perguntando sobre vc e eu dizia a mesma coisa que vc precisava por a cabeça no lugar e voltava depois. Fim de sonho acordei mau. Por isso te mandei

Eu estava cursando medicina com um amigo

Eu estava cursando medicina com um amigo da época da escola (Ricardo), em um certo momento tivemos que levar um amigo de classe as pressas para a internação, mas em algum momento nos perdemos da pessoa que estava empurrando a maca. Continuamos a subir o prédio pelas escadas, chegamos ao 7° andar e perguntamos onde as enfermeiras tinham colocado nosso amigo e uma delas respondeu "leito 1", mas qdo fomos olhar não era ele, nesse momento dei um grito"é oq chegou no cavalo", a mesma enfermeira disse outro leito, mas que tbm não era ele, aí nesse momento eu gritei com ela "sua incompetente, vc não sabe nem onde vão parar seus pacientes que chegam?" E ela me respondeu "vc tem certeza que ele veio para o meu andar?" Foi aí que o Ricardo me disse "deve ter ido pro nono andar", e uma enfermeira que começou a subir as escadas com a gente disse "mas o nono não estão deixando entrar estudantes pra visita", mas ela mesmo disse "a coordenadora está no décimo, vamos até lá". Chegando lá a coordenadora pediu pro segurança pesquisar a ficha do nosso amigo pra ter certeza em que andar ele estava, mas nesse momento o sistema parou, aí a coordenadora pediu para o segurança dar o crachá dele pra gente e falou q podíamos ir atrás até achar. Descemos ao nono andar e começamos a correr pelos corredores, até que achamos. Ele estava em estado grave por uma doença que o hospital estava cheio. Eu e o Ricardo decidimos descer até a sala de aula de volta, mas qdo começamos a descer já eram escadas rolantes e uma espécie de shopping e estava todo mundo correndo em direção a saídas, descendo as escadas desesperados. Continuamos a descer para chegar na sala, mas resolvemos perguntar pra um segurança o pq estavam evacuando o shop. E ele respondeu que pq os diretores decidiram manter fechado até a doença acabar e nos auto falantes avisava que não iam ser devolvidos valores de ingressos de cinemas. Eu e o Ricardo resolvemos continuar correndo em direção a sala, mas num momento passou um monte de gente correndo pela gente e nos perdemos. Em um certo momento passei perto de uma das saídas e o segurança me colocou pra fora, eu tentei avisar q eu era estudante, mas ele nem ouviu. Lá fora fiquei procurando pelo Ricardo, pra saber se ele tbm tinha saído, até que achei. Alguns minutos depois caiu uma espécie de míssil ou bomba em uma das partes do prédio. Uma galera do lado de fora ficou olhando. Mais alguns minutos o Ricardo começou a passar mal, dor no peito e caiu. Fui olhar com uma lanterna de luz Negra e vi luzes roxas, nesse momento disse que todos q estavam ali tinham sido atingidos por radiação. Sai correndo sentido ao laboratório do hospital, onde eles já estavam fechando as portas pq todo mundo queria exame, mas eu por ser conhecido deles consegui entrar. Duas enfermeiras vieram me atender, uma eu conhecia a outra queria ir embora e não ter atendido. A que veio colocar o acesso era a que não queria atender, eu avisei que minha melhor veia era a do braço direito e ela quis pegar a do esquerdo e acabou estourando. Aí a enfermeira conhecida veio e pegou a veia do braço direito. Tirou sangue e começou a aplicar um soro específico. Mas eu não quis ficar ali parado e sai com o acesso no braço mesmo pra ir pro prédio do hospital e shop. Chegando lá me identifiquei e consegui entrar, já subi para os andares dos atendimentos que estavam lotados. Alguém gritou que estavam chegando mais 10 multilados e fui ajudar. No meio do caminho liguei para o Ricardo para saber se estava bem, ele atendeu e disse que estava chegando em casa já. Expliquei pra ele sobre a radiação e as explosões e ele disse q iria voltar. Chegando em um dos andares para atender os sistemas caíram todos aí gritei para chamar a atenção de todos e falei : " temos pessoas mais velhas aqui q já trabalharam sem sistema, então cada novato ajuda uma pessoa mais antiga e vamos trabalhar". Nesse momento liguei para minha mãe e minha mulher e disse o q estava acontecendo, sobre as bombas e sobre oq tinha acontecido comigo da radiação. Desliguei o telefone e voltei a ajudar. Em um momento eu estava saindo junto com uma enfermeira para analisar o prédio por fora e vimos que os mísseis estavam atingindo as laterais do prédio que era bem grosso. Então pensamos que todos tinham que ficar na parte mais central do prédio. Voltamos para dentro do prédio e tivemos dificuldade de entrar pq tinha muita gente querendo entrar tbm e os seguranças não estavam deixando entrar. Conseguimos entrar e subimos uma escada rolante e voltamos para os atendimentos, quando cheguei lá tinha um monte de mangueira de oxigênio embolada, um enrolando no outro pq todos os funcionários estavam com cateters de oxigênio por causa da explosões e poeiras. Nesse momento me chamaram no estacionamento, quando cheguei lá estavam, meu pai, minha mãe, minha mulher e um filho. Nisso eu falei " não era pra vcs estarem aqui", aí meu pai disse" se vc está ajudando e correndo risco, vamos ficar c vc". Aí falei q então eles ia ficar no mesmo lugar q eu, na parte mais interna do prédio. Chegando lá em cima deixei eles numa antesala e fui continuar atendendo. Os ataques continuavam intercalando entre míssil e um avião soltando cobras. O Ricardo que estava próximo a gente pegou uma cobra bem perto da gente, ele levou uma picada, quando fui ajudar ele tbm levei uma picada. Então falei para que minha família ficasse naquele lugar que eu e ele iríamos buscar um soro. Passamos por um lugar aberto do prédio que tinha uma piscina no meio, as pessoas na parte coberta tentando se esconder dos ataques. Passamos correndo até a parte do prédio que tinha o soro, chegando lá pedimos para uma pessoa que estava na porta da sala dos soros. Injetamos o soro e voltamos. Qdo voltamos peguei minha família e estava levando para outro lugar do prédio , mas na porta encontrei um diretor do hospital indo embora, aí perguntei se tinha acabado e ele disse que sim, que já haviam parado os ataques. Dei um abraço nele e apresentei a família pra ele. Entrei para continuar os atendimentos mais tranquilo. Em um leito a direita de onde deixei minha família esperando tinha uma amiga de sala que foi atingida e tinha perdido o movimento de uma das pernas , fui até lá consola- la, ela disse que estava bem, pra ir ajudar outras pessoas. Fui rodar pelo andar pra ver a situação, passei por um lugar onde tinham pessoas fazendo comida pra servir a todos e depois voltei e um coordenador falou pra eu aplicar uma espécie de injeção nas pessoas pra previnir alguma coisa, mas era pra aplicar um sim dois ou três não. Terminei de aplicar, comecei a conversar com um outro estudante no corredor e fim.

Eu sonhei me escondendo em um monte

Eu sonhei me escondendo em um monte de lixo,porque está sendo perseguida e em uma casa em que na frente tinha um rio e de um lado era fundo e assustador e do outro lado era bem raso quase inexistente e depois andando de carro

Havia uma mulher e uma criança quando

Havia uma mulher e uma criança quando eu cheguei na porta vi a mulher segurando uma criança que estava com a boca em alguma coisa de uma pessoa, como se estivesse sugando algo ruim da pessoa. A criança se debatia e a mulher a segurava. Após ver essa cena comecei a puxar de dentro da minha boca fios de cabelo como se fosse um cordão. Quando olhei para meus pés tinha um monte de cabelos pretos saudáveis. Lembro que peguei com as mãos e me questionava a quantidade de cabelo. Acordei em seguida.

Havia uma mulher e uma criança quando

Havia uma mulher e uma criança quando eu chegava na porta vi a mulher segurando uma criança que estava com a boca em alguma coisa de uma pessoa, como se estivesse sugando algo ruim da pessoa. A criança se debatia e a mulher a segurava. Após ver essa cena comecei a puxar de dentro da minha boca várias fios de cabelo como se fosse um cordão, e quanto mas puxava mas vinha cabelo. Quando olhei para meus pés tinha um monte de cabelos pretos saudáveis. Lembro que peguei com as mãos e me questionava no sonho de onde vinha tanto cabelo. Acordei em seguida.